Skip to main content

Qual ou Quais Modelos entrar na Costura-Dr Gestão

Muitos diretores procuram passar a imagem de quem sabe o que está fazendo, que não tem dúvida nenhuma, que está tudo sobre controle e que tem conhecimento de todas as respostas. Fazem isto, pois o papel deles é transmitir segurança a seus empregados e empregadores. O cargo de diretor é um cargo de confiança e por isso normalmente estes escondem suas dúvidas ou temores.

Mas uma coisa é certa, os gerentes e diretores têm dúvidas e muitas delas, apesar de seu nível de conhecimento, são sobre liderança e gestão, seus questionamentos sobre qual decisão tomar são mais complexos e é normal ter estas dúvidas. Um ponto que sempre as gera é: Qual ou quais modelos entram na costura?

Normalmente os gestores decidem trabalhar com 2 modelos simultâneos fazendo uso da desculpa de adiantar as operações. Alguns administradores ainda dizem que entrar com 2 modelos pode gerar confusão, contudo se forem similares, com operações de fabricação também análogas, este problema está solucionado e você terá sucesso com sua técnica de adiantamento.

Normalmente me dizem que estou errado quando falo sobre o que irei apresentar para vocês aqui. Já me chamaram de maluco e viciado em livros, que a prática não era exatamente igual a teoria e o que funcionava lá, não funciona realmente na realidade.

Eu digo que esta coisa de entrar com 2 modelos para adiantar os processos é uma mentira. E das grandes, a quantidade de pessoas que acreditam nisso é enorme e vou explicar o por que. Também vou provar o porquê é uma mentira e que é muito perigoso acreditar nisso.

Já vivenciei muito sobre isso nas várias empresas que trabalhei como gerente e também atuando como consultor industrial. Basicamente sempre ocorre a mesma coisa, para você adiantar as operações, acaba perdendo balanceamento.

Quando entrar no processo de costura, vai começar a surgir a palavra adiantar para melhorar sua produtividade. O tempo todo aparece essa palavra no segmento da indústria do vestuário. E isto é um erro, pois não existe adiantar para este setor.

Adiantando você está usando o tempo das operadoras. Como você quis balancear as operações e adianta-las, a carga de trabalho vai ficar errada, sobrecarregando uma ou mais operadoras e empregando mal o tempo delas.

Mesmo para modelos com operações similares, isso sobrecarrega sim, pois os modelos não são totalmente iguais, portanto, sua sequência operacional também não será.

Terceirização de modelo

Terceirizar é uma estratégia que pode ser adotada para “adiantar” os processos internos. Enquanto você faz um modelo, os terceiros fazem outro. Isto encarece a produção e diminuí os lucros brutos? Sim, pois você precisa pagar os trabalhadores de fora que está empregando.

Por exemplo, fechar lateral para camisas, para balancear você precisará tirar esta operação, mas isso gera uma imensa confusão que comprometerá boa parte do seu tempo até que esteja solucionada.

Terceirizar é uma boa estratégia se fizer isto com todo o modelo, assim não ficam processos na empresa terceira e na sua de um mesmo produto. Permite que você foque toda sua atenção em produzir e não fique dividido em não cometer um erro, pois está gerenciando uma produção e o recebimento de outra para dar seguimento em seu processo de produção.

Como Saber o que Terceirizar?

Depois de perceber que é indispensável evitar confusão desnecessária, está na hora de escolher o que irá terceirizar. Supondo que tenha três produções diferentes a fazer e quer que duas delas sejam feitas por terceiros, o ideal é que você seja responsável pela mais complexa, aquela com maior grau de dificuldade em sua produção.

Deste modo você está a favor da segurança, permitindo que o controle da qualidade esteja todo em suas mãos, assim como a sequência operacional e a produtividade. A escolha será sua entre utilizar o coeficiente de segurança ou duplicá-lo para manter sua qualidade garantida.

O produto que for mais fácil de ser produzido, você terceiriza, mantendo assim a qualidade média o mais elevado possível para aquela quantidade que você produziu no tempo que utilizou para tal.

Quando entrar com dois modelos?

Existe uma hora especifica para entrar com o segundo modelo, de modo que não prejudique a qualidade e velocidade de nenhum processo ou produto. Esta hora é bem definida e não gera confusão.

Você deve entrar com seu segundo modelo quando faltar produzir as 5 peças finais do último lote. Supondo que tenhamos um pedido de 1000 peças e exista 50 lotes de 20 peças cada. Quando estiver pronto 995 produtos, 19 lotes completos e 75% do último lote estiver pronto, nesta hora você deve inserir o outro modelo em sua produção sem medo de que este gere problemas para você.

Sempre digo e volto a dizer para gravar esta informação nos seus neurônios, lotes enormes não são uma opção muito viável, trabalhar com lotes menores e com menos peças torna o seu processo mais rápido e com menos falhas. Por esse motivo que as facções não trabalham com 10 lotes de 100 peças e sim 50 lotes de 20 peças.

Realizando estas ações, seu balanceamento será maravilhoso, assim como sua produtividade, qualidade e processos. Sua empresa não entrará em colapso, você estará simplificando sua produção na medida do possível e assim minimizando os erros.

Aos poucos vou apresentando grandes conteúdos sobre gestão para este mundo da confecção de roupas e vestuário. O tema de hoje foi um grande passo e também um dos maiores diferenciais entre as empresas que existem no mercado atualmente.

Luiz Roberto Saraiva

Luiz Roberto Saraiva em Gestão da Indústria de Confecção
Sou natural da Tijuca, no Rio de Janeiro. Tenho 47 anos, sou graduado em Administração de Empresas pelo Senai/Cetiqt e possuo pós-graduação em Logística Empresarial pela Funcefet. Depois de mais de 19 anos de atuação profissional, posso dizer que sou simplesmente apaixonado pelo mundo da indústria têxtil e de confecção do vestuário.