Skip to main content

O Planejamento Corporativo, vai bem?

O planejamento corporativo na confecção de roupas é fundamental. Planejar, por si só, é inerente à Gestão Corporativa. Não importa o tamanho do negócio. Em todas as empresas é requisito básico. Alguma vez você já se perguntou o que diferencia empresas do mesmo ramo com resultados e crescimento tão diferentes? Certamente uma das razões estará no planejamento.

Não basta ter um excelente planejamento se não soubermos gerir os instrumentos à disposição dos gestores. Aqui falamos em planejamento de amplo significado e abrangência. Aliás, muito além do significado comum conhecido pelas pessoas.

AVALIE VOCÊ MESMO COMO VAI A SUA CULTURA DE PLANEJAMENTO CORPORATIVO 

Aqui segue um roteiro básico. A Cultura do Planejamento estará disseminada em sua empresa quando:

1. Os gestores dispuserem de adequado Sistema de Informações Gerenciais consolidando os resultados mensais comparados entre previsto e realizado, proveniente dos diversos Instrumentos de Apoio à Gestão e Decisão.

2. O corpo gerencial tomar decisões e referenciar atos e ações sempre através deste sistema.

3. Seus colaboradores tiverem acesso a estes dados e informações e entenderem seu significado e importância para a gestão.

4. Os integrantes de a empresa falarem a mesma linguagem corporativa ao defender pontos de vista ou tomar alguma decisão significativa, levando em conta os resultados obtidos e medidos através dos Instrumentos Gerenciais.

5. A equipe de vendas puder avaliar individualmente se os resultados que atingiu são bons ou não para a empresa.

6. Cada colaborador puder agir voltado para resultados e tiver consciência de onde, quando e quanto estará agregando em valores ao negócio.

Planejar, em gestão corporativa, significa exercer a possibilidade de ver à frente, à frente dos outros, poderem antecipar decisões, decidir rápido e assertivamente, definir rumos, delinear estratégias, antever oportunidades ou ameaças, negociar municiado dos dados adequados, perceberem fronteiras mais distantes que os concorrentes.

PLANEJAMENTO CORPORATIVO

Estrategicamente pode significar estar muito à frente dos outros e dos concorrentes.

O estranho nisso tudo é que ainda encontramos empresas de porte expressivo, já maduras, sem adequados instrumentos de planejamento, ausência de cultura de planejamento e pouco domínio dos princípios que regem o Planejamento Corporativo e sua gestão.

TIPOS DE PLANEJAMENTO CORPORATIVO 

Quais deles você já implementou em sua empresa ? Aqui citamos os principais que, dependendo do estágio e porte da empresa, podem ter diversos desdobramentos e níveis diferenciados de detalhamento:

1. Plano de Negócios (ou do Negócio). Conhecido como Business Plan. Antecede à implantação de um negócio. Ou pode tratar de um Plano de Expansão ou Plano de Viabilidade Econômico-Financeira para obtenção de recursos no mercado.

2. Planejamento Estratégico (diagnóstico que visa estabelecer onde estamos, para onde vamos e todas as variáveis que podem influenciar proteger ou atrapalhar a trajetória da empresa)

3. Planejamento Orçamentário (receitas, despesas, investimentos, fluxo de caixa)

4. Planejamento Operacional ou de Produção (PCP)

5. Planejamento de Marketing

6. Planejamento de Vendas

7. Há uma série de outros, alguns em forma de desdobramentos dos principais como Plano de Metas (regionais, departamentais, setoriais e até os individuais)

A boa Gestão Corporativa pressupõe o domínio de uso destes instrumentos gerenciais, que funcionam melhor quando são suportados por instrumentos de apoio, entre eles:

1. Indicadores Desempenho (geral específico ou setorizado)

2. Indicadores de Desempenho de Mercado ou do Segmento

3. Benchmarking (comparativo entre empresas do setor)

RESUMINDO

Na área específica do Planejamento da Produção tem-se verificado um aumento do uso de sistemas computacionais de apoio à decisão que buscam englobar múltiplos e complexos aspectos que intervêm nos processos de produção e, por isso mesmo, difíceis de ser analisados de forma racional por planejadores. Tais ferramentas permitem que se escolham as melhores alternativas de produção com respeito aos custos envolvidos e às restrições inerentes ao processo. Dentre esses sistemas, os sistemas MRP é um dos sistemas mais utilizados e têm como um dos seus principais componentes constitutivos um problema típico de otimização que é o dimensionamento de lotes.
Seu objetivo é determinar um plano de produção para componentes (itens) dentro de um horizonte de tempo determinado, procurando satisfazer as previsões de demanda para os produtos finais.

Hoje no mercado existe bons programas,mas cada qual tem a utilidade inerente a cada processo fabril.Raro quando encontramos algum que consiga abranger as fases e ter uma perspicácia satisfatória para poder tomar decisões de forma holística.Posso citar alguns muito bons.Mas o que vejo com muita eficácia é o Millenium de São Paulo.

O sistema MRP faz a explosão de toda a matéria prima e insumos necessários par aquela determinada produção,contidos em diversos programas como o citado logo acima.

Luiz Roberto Saraiva

Luiz Roberto Saraiva

Luiz Roberto Saraiva em Gestão da Indústria de Confecção
Sou natural da Tijuca, no Rio de Janeiro. Tenho 47 anos, sou graduado em Administração de Empresas pelo Senai/Cetiqt e possuo pós-graduação em Logística Empresarial pela Funcefet. Depois de mais de 19 anos de atuação profissional, posso dizer que sou simplesmente apaixonado pelo mundo da indústria têxtil e de confecção do vestuário.
Luiz Roberto Saraiva

Últimos posts por Luiz Roberto Saraiva (exibir todos)